Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

serei eu um caso de pessoa obsoleta?

o dia seria longo. ainda não eram 8h e estávamos nos aprontando para partir. passaríamos o dia num cliente. e o cliente fica longe do nosso escritório. "vou pegar um 3G", ele me disse, com alegria.
ele foi até a gaveta onde os 3G são guardados, e voltou com as mãos vazias. "não tem nenhum na gaveta." é normal, respondi. as pessoas levam 3G para trabalhar de casa, da praia, talvez do clube.
fomos sem o 3G. e claro que trabalhamos loucamente, e que o acesso à internet teria sido pouco válido. pensando bem, talvez o pedro tivesse conseguido checar e-mails nos 45 minutos para ir ou nos outros 45 minutos para voltar...
li um texto longuíssimo no guardian, de uma moça que suponho ser jornalista. e ela vai falando do equilíbrio - tudo começa com ela dizendo como ela dorme menos horas do que tem de dormir, porque ela leva o computador pra cama (!!!!) pra falar com amigos via skype, pra tuitar, e pra editar textos. uau!, eu pensei. não costumo deitar com máquinas, ah ah ah.
mas…

ninguém vai me ligar

essa foi a explicação que ela me deu, quando perguntei se já havia desligado o celular. estávamos no cinema, para ver pela segunda vez "biutiful", o extraordinário filme do iñárritu, com o fabuloso javier bardem. tínhamos ido ao cinema um dia antes, mas 7 minutos antes do final, faltou luz. voltamos no outro dia, para vermos o filme todo de novo. na segunda vez, graças a deus, com menos lágrimas.
eu dei risada. adorei o jeito como ela disse que ninguém ligava pra ela. não era algo ruim nem bom.
eu estou há dias, muitos dias, brincando de casinha. mas hoje foi o grand finale. estou sem filhos desde o dia 3 de janeiro, com um intervalo de 48 horas, em que eles ficaram comigo entre a volta de porto alegre e a ida para ubatuba.
não sei se é uma coisa saudável, mas me parece que sim: arrumei todos, t-o-d-o-s os armários da casa. o trabalho foi sendo feito mui lentamente. e pouco foi descartado. mas muito foi limpo e organizado. delícia.
terminei a função hoje. as crianças voltariam…

férias sem a mamããããããe, ele gritou

"férias sem a mamãe. eu posso fazer o que eu quiser." ele me olhou bem sério quando disse isso, no avião. ele estava em êxtase. pela primeira vez nos quase 9 anos do cara, ele iria passar férias sem esta que escreve. ele não se lembra, mas já passou trocentas férias com o pai e a madrasta. mas essas ele não conta. ele também já passou duas semanas só com os avós em são paulo, e outras duas semanas só com os avós em porto alegre. mas DESTA VEZ ele estava em êxtase.
e eu, claro, estava preocupada. DESTA VEZ. porque das outras nunca estive. algo do tipo "segura na mão de deus e vai". que imagino ser o mantra das moças que depois de ter filhos se separam do progenitor. estamos todos bem, passados nove dias que estou em são paulo enquanto meus filhos tomam banho de mar no exuberante mar gaúcho (o exuberante é uma piada, claro).
...
férias de filho para uma mãe são o nirvana. aliás, o que vem DEPOIS do nirvana? não sei, mas é isso. casa vazia, silêncio, nenhuma empregada, …