domingo, 24 de abril de 2011

do avesso



nada como uma bela foto pra mentir que a vida é bela.

tem dias em que as coisas parecem do avesso. o problema é quando, depois de semanas, tudo continua parecendo do avesso. eu preferiria tomar uma taça de vinho a trabalhar e pensar em vários projetos ao mesmo tempo.
faz quase um mês que não escrevo porque penso em como às vezes não há nada a dizer. mas isso não passa. há quatro rascunhos salvos. cada um com uma ou duas palavras.
ando com os ombros curvados para a frente, e não tenho um espelho pra ver, mas me parece que ando com uma cara de bruxa infeliz. afe! acho ruim até o que é bom.
o cansaço foi dar uma volta e deixou em seu lugar a exaustão. tem horas que tenho certeza de que vou desmaiar se não me deitar imediatamente.
não acho graça em nada. aliás, não é em nada, é em mim. o que é o pior dos cenários. como diz clarice lispector, "ando com saudade de mim", eu ando com saudade do lado bom.
que horror!
vejo pessosas animadas, que me contam maravilhas, da vida, do trabalho, do cenário - ele foi morar em floripa e diz que só de olhar pro mar e pros morros a vida fica melhor, e eu morri de inveja -, dos amores. e eu devo olhá-las com a cara de bruxa infeliz.
vou comprar uma máscara. bem bonita. que vai funcionar por fora - uma bela moça - e por dentro - uma pessoa alegre, bem humorada, encantadora.
depois publico a foto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário