todo dia tudo igual

seria muito mais legal entrar no meu carro pra ir pro escritório. mas era o meu rodízio. e eu só poderia sair de carro depois das 10h. mas eu tinha uma reunião às 9h.
iria a pé. mas começou a me dar uma aflição - eu chegaria suada ao escritório, e teria de sair de casa rapidinho. andando devagar levo 40 minutos para chegar, muito mais do que os 8 ou 10 minutos que levo de carro.
então o táxi seria ótimo. por R$ 12 tava tudo resolvido. mas eu estava LOUCA pra andar.
ai ai ai.
teria de andar devagar, pra não precisar tomar um banho quando chegasse ao escritório. a mochila iria lotada. dentro dela teria de caber dois potes (um com meu almoço, outro com meu jantar, já que eu iria pra um curso depois do trabalho e não queria comer uma coxinha gorda e deliciosa), a minha bolsa, um agasalho e as minhas sandálias - eu não queria arriscar e andar 40 minutos com umas sandálias novas. e então a mochila ficou cheia. e eu ainda consegui colocar o guarda-chuvas num bolso lateral grande.
fui andando, olhando pro céu azul com nuvens brancas. ia olhando as pessoas na calçada, todas tão diferentes umas das outras, que fiquei maravilhada. narizes de todos os formatos, cabelos de todos os tamanhos e cores, pessoas pequenas e pessoas grandes, com roupas bem feitas ou não. caras e olhares de todos os tipos, bocas sérias e bocas sorridentes.
e fui pensando em como é bom quando tudo é igual todos os dias. o mesmo carro que segue pelo mesmo caminho para o mesmo trabalho onde os mesmos colegas estão trabalhando e onde eu sei onde fica o banheiro feminino e o masculino e a máquina de café e sei também que botão devo apertar para ter um café pequeno médio ou grande.
dizem que devemos todos os dias fazer coisas diferentes. desgrudar dos hábitos. andar por novos caminhos. comer novas comidas. falar palavras novas. procurar outros trabalhos. fazer novos amigos. usar roupas diferentes.
ai mas que preguiça que dá. como é bom tomar o mesmo vinho ligar pras mesmas amigas pegar o mesmo ônibus no ponto de sempre!
eu tenho frio na barriga e um pouco de medo e bastante preguiça. mas eu comi tripa de peixe e liguei pra quem eu nunca ligo e descolei um trabalho totalmente novo mudei de cabeleireiro e ganhei umas calças de chita muito longas muito largas muito coloridas muito loucas. viajei pra bem longe sozinha com as crianças e comprei dois (!!!) batons vermelhos.
carrego o frio na barriga e um pouco de tontura mas não vou deixar a chatonilda de mim querer fazer tudo sempre igual.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

nunca me senti tão rica

as dores do chute na bunda

Só sendo uma santa