segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

desculpa, dona faz tudo

este fim de ano não será como os outros. das trocentas - e infindáveis - listas, muitas ainda existirão no próximo ano. a casa não está arrumada, nem dona faz tudo está descansada.
ficou tudo de pernas por ar. não desorganizado, mas um pouco zoado. e lá vou eu explicar.
mamãe precisa dormir. mamãe precisa ir ao cinema. mamãe precisa chorar. mamãe precisa ficar sozinha, em silêncio. e depois de muitas e muitas horas sozinha, mamãe precisará sair por aí de bicicleta. mamãe precisa comer pouco, beber o suficiente, e rir só se for engraçado de verdade.
...
é bom passar por situações limite, quando você fica em dúvida se vai dar conta do recado. são dias de aulas intensivas de economia de energia: você só gasta o necessário.
e assim foram as últimas semanas. homens bobos, crianças indóceis, verdades aparecendo enlouquecidamente dentro de mim. uma maravilha, se não doesse. mas dói. e, claro, azar o meu. a dor pode ser dividida, mas não terceirizada. e então descobri amigos preciosos, que não acham ruim ouvir o meu choro. 
...
existem os dias muito doces. e os dias muito amargos. acho que por um erro de cálculo lá no céu a conta tem sido um pouco desigual. lágrimas não jorram, não sinto dor. mas sinto raiva.
...
as crianças passarão o natal com os avós. dona faz tudo ficará em casa sem fazer nada. talvez terei ideias mirabolantes para o próximo ano. por ora sei que devo meditar mais, praticar mais corrida, respirar mais fundo e acreditar.
pronto. essa é a questão. parei de acreditar. e então um peso insuportável pairou sobre mim, e eu comecei a carregá-lo. muita tristeza.
...
tenho saudades do que não vivi. e espero nunca tentar explicar isso pra ninguém.

2 comentários:

  1. Estamos todos exaustos, exaustos. E pra estarmos assim não precisa nada de extraordinário ter acontecido. Imagina quando acontece algo de extraordinário. Não sei qual é a palavra pra descrever mais que exaustos...
    Só sei de uma coisa, janelinhas como essa aqui são um respiro! Adoro encontrar tuas palavras no meio do caminho de tarefas sem fim. Vou tentar te ligar amanhã...bjs,
    Dani

    ResponderExcluir