perdi os meus óculos (e achei a minha paciência)

deve significar algo. todas as coisas que acontecem têm um significado.
saímos para comprar um par de tênis. ele não tem tênis para correr e combinamos que no sábado iríamos resolver isso. eu estava deitada no sofá lendo quando ele apareceu na sala e disse que estava pronto.
escovei os dentes, tomei muita água e saímos. o dia estava ensolarado e quente depois de uma semana fria e chuvosa. andamos, não encontramos nenhum tênis que o agradasse, tomamos o sorvete mais doce da minha vida e acabamos com as muitas moedas que tínhamos dando para quem nos pedia. quando cheguei em casa fiquei feliz de tirar os sapatos e sentir o chão de madeira debaixo dos meus pés.
fui procurar os meus óculos. nada. a tela do meu computador ficou listrada. era um dia cheio de acontecimentos.

a cidade cinza ficou branca por uma semana. depois, o chão foi tomado pelas flores dos ipês 


no dia seguinte saí para andar. e pensei ah, que ótimo, finalmente irei a um oftalmologista e farei uns óculos de acordo com a necessidade de quase meio século de vida - compromisso que eu venho negando há muitos e muitos meses, talvez mais de 12. no meio da minha caminhada encontrei F, um amigo querido, que me diz que aos 68 anos tudo cai e/ou fica mole, o pau dele inclusive. respondi algo como puxa, como eu não tenho pau não posso te dizer nada.
ao chegar em casa, o prédio - e vários quarteirões ao redor - estava sem luz.
roupas molhadas estavam de molho dentro da máquina de lavar roupas desde de manhã, quando ainda tinha luz na minha casa. sem luz, era mais difícil ainda para eu ler sem os meus óculos. e, para completar, o aquecimento a gás do chuveiro funciona com eletricidade. sem luz ele não liga. meu filho tomou banho frio. eu, não.
a luz voltou quando já era noite. meu computador seguiu listrado por mais um dia e como num passe de mágica a tela voltou a ser uma tela sem listras. meus óculos seguiram sumidos por três dias e meio. quando, numa manhã, ao sair de casa, meti a mão na bolsa para pegar meus óculos de sol e, surpresa!, eu tinha conseguido colocar dois óculos dentro do mesmo estojo e sem perceber. são os benefícios da idade. afinal, nada é só ruim ou só bom.
e eu, feliz da vida, fiquei sem reclamar - da falta de luz; das listras na tela do computador que teria de ser trocada caso as listras não sumissem; do desaparecimentos dos meus óculos; do sorvete doce que enjoava; da empresa que fornece luz para o meu bairro que, de tão ruim, não avisa ninguém que por umas 12 horas ficaremos sem luz para trocar alguns postes.
não reclamar é bom.

só olhando pra cima pra ver o mamoeiro carregado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

obrigada, SPTrans, por nos tratar como lixo

abraçando a oportunidade de ir

dia 9 - um ano sem comprar roupas