a paciência é um músculo, mas às vezes dá cãimbra

uau, faz um século que não escrevo. falta de inspiração. mas eu adoro ser obsoleta (leia: ter um blogue e não escrever mui frequentemente). fui ver o que o houaiss diz:
1 que já não se usa; arcaico, antigo
2 fora de moda; ultrapassado, antiquado

bem, o fato é que existem temas que não têm o MENOR apelo. e a paciência, pelamordedeus, é um deles.
eu juro que eu adoraria ser uma pessoa feliz. não estou sendo cínica. penso naquelas mulheres cheirosas, bem penteadas, "bem lavadas", como disse o tom jobim, com o sorriso de quem não tem problemas, só soluções. sim, é fake, mas que maravilha! as que são casadas com homens belíssimos, então, nem se fala. aí fazem uma foto com as cabeças encostadinhas, aquele sorriso bem lindo, dentes brancos, uma lindeza.
mas deve ter dado alguma coisa errada quando eu encarnei, e comigo nunca foi assim. quando eu era magérrima eu usava roupas imensas pra não mostrar o meu tamanho. e pior ainda, quando engordo não me importo.
pra piorar, acho que, sendo otimista, 99% dos casamentos me causam arrepios - de horror, não de tesão. e ainda por cima tenho uma boca que é imunda, se fizermos uma comparação com "a média". para os meus parâmetros, é uma boca "ok".
nada como escrever sobre temas absolutamente deselegantes. mas eu tinha começado com a paciência, e é sobre isso que queria falar. o que fazer quando a paciência vai pra indonésia dar um rolê? na minha fantasia pequeno burguesa, se eu fosse casada as coisas seriam mais simples. mas é claro que isso é uma enorme bobagem. a vida de casado é muito mais dura do que a vida dos outros, no caso, a minha.
o fato é que para as pessoas normais, que não encostam a cabeça na cabeça do cônjuge para tirar uma foto ridícula, a paciência acaba e a vida segue. filhos não desligam a TV, não vão pro banho, não comem o que está na mesa, não fazem a lição, e usam palavras de baixíssimo calão em situações nas quais tais palavras jamais deveriam ser usadas.
o que fazer?
(ainda bem que eu não digo pra todo mundo por que tenho um blogue. é uma questão de sobrevivência. pronto, falei.)
mas o mais engraçado disso tudo é quando penso que estou perto do nirvana. meus filhos estão acostumados com o fato de serem criados por uma mãe. e eu estou acostumada com o fato de criar filhos sozinha. não sei se a palavra é essa - acostumados -, mas me parece bem razoável. hoje tava escutando no rádio uma renomada psicóloga falando sobre amor dos pais para os filhos. ela dizia que este era um amor diferente, mesmo quando os filhos - ela comentava o fato de uma filha dizer para a mãe que ia morar com pai, que pagava pensão de R$ 100 por mês e via a filha três vezes por ano! - dizem "eu te odeio. vou morar com o meu pai". o que responder? primeiro, respirar fundo. depois, contar até 10. por último, entoar um mantar mentalmente e dizer "filho (a), você não vai morar com o seu pai porque eu te amo, gosto de morar com você e cuido de você". ponto. a última frase é da tal da psicóloga, as outras são minhas.
respirar.
contar até 10.
entoar mantras.
deus esteja!
...
ps - isso não tem a ver com a falta de paciência diretamnente. mas quando eu ia dar uns gritos sobre "tudo o que tinha feito hoje" com o meu filho, calei a boca e respirei. meus filhos não têm NADA a ver com "tudo o que eu faço". mas eles têm de saber o que eu faço e por que. a resposta é quase idiota. faço tudo porque sou mãe. ponto final.

Comentários

  1. Tita, as pessoas cheirosas, bem lavadas, com marido bonito pra encostar a cabeça não existem! Pelo menos não do jeito que imaginas. É só uma miragem, darling! Mesmo essas pessoas têm filhos que não fazem lição, brigas com o marido, mau-humor e falta de paciência. É só a vida, só a vida! Sei que sabes disso, mas não custa lembrar.
    Bj Dani

    ResponderExcluir
  2. To quase achando que a gente pode transformar o teu blog em uma mesa de bar...
    enfim, como não tenho filhos ainda, posso falar isso das pessoas que trabalham comigo...hahaha
    minha paciência acaba diversas vezes ao dia...eu respiro fundo, pois infelizmente ninguém pede para sair (vulgo ir morar com o pai) e eu posso perder meu emprego se não malhar a paciencia diariamente... anyway...
    besos saudosos,
    Ana

    ResponderExcluir
  3. ana,
    pelo menos quando teus filhos nascerem v já vai ter o músculo beeeeem esticado, ah ah ah.

    ResponderExcluir
  4. dani,
    eu te mostro uma moça cheirosa qualquer dia desses. really.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

nunca me senti tão rica

as dores do chute na bunda

Só sendo uma santa