quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

trekkings urbanos

ele veio com a seguinte pergunta: quem fazia trekking? as pessoas se animaram, e foram relatando os lugares por onde já haviam andado. eu fiquei pensando, e não disse nada. uns dias depois, saímos para uma caminhada no bairro. ficamos umas cinco horas andando, com direito a pastel na feira e compra de dicionário e pincel para aquarela.
fiquei pensando na nossa caminhada e no tal do trekking sobre o qual ele havia perguntado. eu sou extremamente monotemática, e achei muito mala dizer que eu tinha feito uma caminhada linda no sertão baiano, na chapada diamantina, com as crianças. aí pensei nos trekkings urbanos que podemos fazer, senão todos os dias, pelo menos aos sábados e domingos. passear por ruas desconhecidas, pegar o metrô e conhecer lugares novos, fazer o que nunca fazemos.



ela me ligou para pedir meu endereço. disse que o pessoal da organização da festa não estava conseguindo falar comigo. ela fez 40 anos, e faria uma festa. "balada", alertou. eu estava viajando, mas anotei na agenda. e uns dias depois chega em casa um convite, e descubro que a festa seria uma graaaande festa, à fantasia.
não sabia se encontraria algum conhecido. quando liguei para confirmar que iria, respondo "vou sozinha" à pergunta "vai alguém com você?".
a erika teve a maravilhosa ideia de fazer um quimono de seda, e assim eu seria uma princesa chinesa. ah, o tema da festa era fábulas. eis a minha fábula:

A MOÇA QUE QUERIA COMER NO LESTE E DORMIR NO OESTE

No estado de Qi*, havia uma moça em idade de casar. Era muito bonita e tinha muitos pretendentes, mas não sabia que noivo escolher. Um dia, dois moços diferentes foram à sua casa pedi-la em casamento. Um morava no Leste e o outro no Oeste. O moço que morava Leste era feio, mas vinha de uma família muito rica. O moço que morava no Oeste era bonito, mas vinha de uma família muito pobre. Os pais da moça não sabiam qual marido apresentar para sua filha. Então eles permitiram que ela desse a sua opinião sobre a pessoa com quem queria se casar** .
A moça ficou encabulada. Passou o tempo, e nada de uma resposta. Seu pai chamou sua mulher para um canto e perguntou:
– Nossa filha não tem coragem de falar?
A mãe foi até onde estava sua filha e disse:
– Você não tem coragem de falar? Se está com vergonha, apenas aponte para o rapaz de sua preferência. Quer dizer, nem precisa apontar. Toque em seu próprio braço. Se tocar no braço esquerdo, é que gosta do rapaz do Oeste, que está na sua esquerda. Se tocar no braço direito, é que gosta do rapaz do Leste, que está na sua direita.
Depois de algum tempo, a moça voltou, mas ainda não tinha tomado a decisão. De repente, ela tocou em seu braço esquerdo. Queria então se casar com o moço do Oeste. Porém, em seguida, tocou também em seu braço direito.
– O quê? Você pretende se casar com os dois? – perguntou o pai, surpreso.
– Não – ela respondeu, falando pela primeira vez, com uma voz sussurrante. – Eu quero comer na casa do moço do Leste e dormir na casa do moço do Oeste.
Seus pais disseram:
– Não é possível ter sempre tudo o que se quer. Às vezes é preciso fazer opções!
A moça pediu mais algum tempo para pensar.
...
* Qi era um dos feudos da dinastia Zhou (1122-265 a.C) e estava localizado na atual província de Shandong, no leste da China.
** O casamento na China antiga era arranjado pelos pais. Normalmente, os filhos não eram consultados.



fomos ao jardim botânico uns dias atrás. caminhamos, tiramos fotos, fizemos um exuberante piquenique, desenhamos. num lago havia flores de vitória régia, brancas e cor de rosa. todos os lugares do jardim são mágicos. acima, foto do túnel de bambus. foi um trekking longo, de alguns quilômetros.

uia! aniversário tem que ter bolo, velas para assoprar e amigos cantando parabéns. e assim foi. fiz um bolo de chocolate, comprei velinhas, e levei tudo pro escritório. depois convoquei todos para cantar parabéns pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário