terça-feira, 20 de dezembro de 2011

os muito casados e os nem tão casados

eu não os conhecia. estávamos na casa de uma amiga, e ela disse que uns amigos chegariam. demos uma geral no ambiente, afinal o almoço tinha começado no final da manhã, e já era final de tarde. "vamos arrumar a casa pra eles não acharem que estão chegando no final da festa", ela disse, enquanto ajeitava cadeiras, almofadas, copos.
estávamos todos sentados ao redor da mesa. quando eles chegaram, sentaram-se conosco. e então conversamos e conversamos, e o mais incrível é que cada pessoa falava e todos escutavam. e eram assuntos legais, interessantes, como se todos nós ali nos conhecêssemos havia muito tempo e sempre tivéssemos conversado daquele jeito.
aí me dei conta de que estava na frente de um casal de verdade. ou, como tentei definir hoje à tarde, quando pensei neles, um casal "muito casado". não sei se faz sentido na língua portuguesa, mas parece fazer sentido nesse contexto.
eles pareciam ser casados há muito tempo. davam sinais de uma intimidade que costuma vir com o tempo. aquela intimidade que dispensa palavras e aceita os longos silêncios.
e então, depois de muita conversa, me dei conta de que eles tinham coisas admiráveis:
- eram amigos da mesma mulher, e tinham gratidão por essa amizade (e nenhum ciúme);
- riam do lado B do outro, sem ridicularizar nem expor vergonhosamente o parceiro. eram comentários verdadeiros, mas delicados, isentos e quase sutis;.
- tinham novos amigos. é admirável ver pessoas que conseguem fazer novas amizades, e verdadeiras, aos 40, aos 50, aos 60;
- cada um dava a sua opinião com profundidade, que o outro escutava com silêncio e respeito;
- pareciam felizes, plenos, serenos;
- não demonstravam nenhum sinal de histeria, tampouco de rancor.
...
pausa para eu respirar. meu deus. e então, desde domingo, sei que existem dois tipos de casamento. e eles podem ser divididos em "muito casados" e "nem tão casados".
...
existem pessoas muito inspiradoras, pessoas muito belas, pessoas muito boas. é uma dádiva encontrá-las. fiquei pensando em como é bom quando somos "muito casados". quando casamos e nosso coração vai junto, e carregamos o respeito e a admiração.
...
acabaram as minhas palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário